Lore Não Oficial de Deadlands

isbru

Member
Olá, pessoal!
Eu escrevi uma lore sobre as Deadlands. Como que ainda não possuo acesso, com certeza deve ter alguma história oficial já rolando dentro do jogo. Mas eu gostaria de deixar aqui uma história a respeito dessa região misteriosa. Eu gosto bastante dessa parte de histórias e de alguma forma tentar relacionar as coisas que certamente aconteceram antes dos eventos inicias de Ravendawn, para que seja possível futuramente, novas histórias e quem sabe campanhas.

Deixo aqui a história de Deadlands disponível para leitura.
Fica aberto a sugestões e críticas!

Houve um tempo em que as Deadlands não carregava morte e medo em seu nome. Muitas eras antes das chegadas do povo de Lyderia, essa região hoje conhecida por sua trevosidade era cheia de vida e alegria. Mas são poucos os rastros da existência dessa época de glória e paz que ainda podem ser presenciadas nos dias atuais.

Há 10.000 anos antes da chegada de Lucien Ravencrest, Ravendawn era chamada por Mëstyr pelos antigos povos que nela habitavam. E Deadlands era Abanel, no qual era habitada pelos Ferlas. Criaturas semelhantes a elfos mas mais belos e fortes que os que são hoje [acreditam que eles são até mesmo os primeiros elfos a habitar neste mundo]. Ferlas era um povo muito sábio, cheio de cultura e magia. Além de um dos mais antigos que habitaram o mundo, desde a época das Entidades Ancestrais.

Porém, dentre eles havia um Guardião, que poucos ousam em saber o seu nome. Os Guardiões eram grandes magos que tinham o papel de proteger os povos contra os seres malignos e suas magias que a todo instante tentavam retornar ao controle, como nos primórdios dos tempos onde Midrien era reinada pelas Entidades Ancestrais.

Diz a lenda que enquanto o Guardião de Abanel estava meditando em sua sala na torres dos magos, conhecida hoje como Castle Greypike, Barosh, o Deus do Sangue e das Trevas, entrou em sua meditação. Naquele instante, todas as luzes vindas das velas, tochas e lareiras se apagaram no castelo. Mas somente uma raios brilhantes saia do quarto do Guardião, como se houvesse uma luta, que de fato houve entre o mago e Barosh. Porém, o Deus do Sangue e das Trevas é muito sagaz pois a medida que o Guardião se cansava mais ele penetrava em sua mente e seu corpo. Até que a luta acabou e o mestre mago ganhou… foi o que todos acharam.

Dias se passaram e o Guardião ficava mais fraco durante o dia e mais forte a noite. Procurando em seus livros, nada encontrou a respeito. Até que algo dentro de sua mente disse para ele descer as escadas até chegar nas catacumbas da torre dos magos e procurar os antigos pergaminhos, que relataram sobre a época das Entidades Ancestrais. Mesmo relutante, ele desceu até a camada mais funda e na sala mais restrita até então, no qual nem mesmo o Guardião tinha conhecimento e nem mesmo de como sabia aquele caminho. Mais escuro e mais sobrio ficava até encontrar uma antiga porta de uma pedra bem escura com letras em vermelho. Naquele ponto, mal sabia o mestre que Barosh já estava controlando seu corpo e sua mente.

O mestre leu então a inscrição que estava na porta que era já na língua das trevas, usada pelos adoradores de Barosh. A sala dentro era circular mas não havia nada, apenas umas velas que acendiam com magia. Mas as trevas eram tão densas que a luz era tão fraca que pouco iluminava. E ao andar, percebeu que no meio havia um pequeno obelisco pontiagudo de pedra escura com manchas de sangue e um desenho tenebroso em todos os lados. Aquela era a antiga sala que outrora era o templo de adoração a Barosh.

Novamente, Barosh entrou na mente do Guardião e mostrou a ele todo o poder que ele teria se derramasse seu sangue no obelisco. O mestre foi relutante mas o Deus das Trevas se apossou dele e o fez furar a mão. Naquele instante, o mestre mudou toda a sua forma e se tornou semelhante a Barosh, semelhante a um mestre vampiro. Agora o Guardião se tornou um sacerdote de Barosh.

Um terremoto abalou toda Abanel, destruindo e remexendo o solo fazendo sair criaturas parecidas como vermes negros, corroendo todas as arvores e a terra daquela região. Em todo lugar começou a se tornar trevas e escuridão com o epicentro em Castle Greypike.
O guardião já transformado e com poderes fortificados, atacou cada pessoa de Abanel. Uns usando para se alimentar e outros transformados em vampiros também, dando lhes poder e sede de sangue. Mas mal sabiam que Barosh se tornava mais forte a cada pessoa morta e transformada.

Porém, outras raças e povos de Mëstyr ficaram sabendo do que a agradável terra de Abanel estava se tornando. Seus líderes, que também tinham conhecimento que aquele lugar estava se tornando o reino das trevas, não podiam permitir que todo o mundo se tornasse novamente um lugar de domínio das Entidades Ancestrais. Com isso, vários exércitos foram enviados para enfrentar aquelas vis criaturas que cresciam cada vez mais. Porém, a cada batalha novas técnicas de combate foram adquiridas, como o uso de espadas de prata e estacas de carvalho. Essas formas de ataques eram capazes de derrotar os vampiros e as outras criaturas que se tornaram serventes das trevas mas não contra o antigo Guardião.

Todavia, vários magos procuraram os registros antigos e buscaram alguma forma de derrotar o agora sacerdote de Barosh. A única forma que encontraram foi criando uma espécie de barreira mágica com o poder da luz, que fez o antigo guardião retornar para dentro da sala onde ele se transformou. Quando eles conseguiram, colocaram uma segunda porta de pedra com inscrições que se opõem às magias das trevas para que em nenhum momento, o antigo guardião pudesse sair.

Por mais que eles tivessem conseguido bloquear a saída do sacerdote, eles não foram capazes de purificar Abanel. Parecia que como que Barosh tinha novamente entrado no nosso mundo e estado nas profundezas daquele lugar, de alguma forma, ele ainda conseguia exercer poder sobre aquele Abanel. A solução desses magos foi demarcar todo a região com uma barreira de poder encontrada em alguns artefatos nas regiões da fronteira como forma de controlar a praga que se formou naquele lugar tornando inabitável, fazendo agora ser chamada de Deadlands.

Ao passar dos anos, ninguém mais habitou Abanel. Todas as construções foram destruídas e queimadas. Algumas pessoas se aventuraram em busca de riquezas que talvez foram deixadas para trás, mas nunca retornaram. Em compensação, mais vampiros e criaturas horrendas surgiram por alguma razão. Não se sabe ao certo o que faz elas se transformarem e nem como. E a antiga torres dos magos que estava em ruínas devido ao terremoto, fortificava a cada dia até se tornar o que é hoje conhecida como Castle Greypike.

É de conhecimento de todos que o antigo Guardião nunca mais saiu daquela sala mas o mistério de como ainda há transformações e rituais naquela região é um mistério.
 

Attachments

  • Deadlands.pdf
    47.5 KB · Views: 0

Lumiere

Sábio do Fórum
Não sei se escreveram alguma história relacionada a região , mas a sua ficou incrível!
Se possível , gostaria de ver ela dentro do jogo.
:D
 

isbru

Member
Não sei se escreveram alguma história relacionada a região , mas a sua ficou incrível!
Se possível , gostaria de ver ela dentro do jogo.
:D
Obrigado mesmo! Seria bem bacana se tivesse mesmo dentro do jogo.
Tem umas outras histórias que estão dentro do forno esperando ser feitas 😌
 
Top